sexta-feira, 9 de maio de 2008

Bem me quer, mal me quer

Vez por outra, me vejo na mesma situação: escolho quais as contas vou pagar e quais não. Um exercício de inteligência e economia - muitas vezes mal sucedido justamente por exigir tais qualidades.

Muito embora eu já não me desespere com isso há tempos, eu tenho aquela pontada de preocupação. Principalmente porque antes eu ganhava pouco, mas ganhava. Agora, com a instabilidade do trabalho freelance, sabe-se lá quanto e quando eu vou ganhar.

Em dezembro, por exemplo, foi fácil fazer o orçamento: pagar todas as contas e guardar para pagar as do mês seguinte. Porque, afinal, vida de freelancer é isso: se ganhamos bem em um mês, guarde, porque os próximos podem não ser tão bons.

O problema é que toda reserva tem seu limite. E aí, salve-se quem puder. E as escolhas vão ficando mais e mais difíceis. Nunca deixo o cartão de crédito sem pagar, porque é a mais perigosa dívida que pode existir. Mas esse mês decidi não pagar. Já sinto um possível problema, mas enfim, a escolha já foi feita e a dor só começará daqui a uns dias.

É duro essa vida de gente grande.

3 comentários:

  1. Vida de gente grande é um porre homérico com ressaca moral pra vida toda.
    E concordo com vc quanto à fatura do Cartão ser a primeira na listinha. Os juros são terríveis.

    ResponderExcluir
  2. Antes tivesse contas a pagar
    sequer tenho cartão oO
    hahahaha.

    Comentei no 'miguelar é preciso'.
    o realmente interessante é que homens possuem [ainda bem] um senso prático maior e os textos ficam mais enxutos, mas sem perder a concisão ;)
    legalzinho aqui! (comentário de gente pedante, devo admitir)

    pois bem, até mais!

    ResponderExcluir
  3. poisé, adoro os comentários gigantes que me acometem e que eu gosto de dar pelos blogs afora :)

    então, na verdade existe um limítrofe para algo saudável. e eu já tinha passado dele e aquilo começou a me incomodar demais sabe. acho que aquilo que vc acha o .... saudável, eu chamo de ansiedade, como pra jogar, por exemplo. pra prestar vestibular tenho medo nenhum não, e as vezes nem pra jogar, porque sou realmente MUITO tranquila. na minha primeira 'aula de direção' meu irmao estava mais nervoso que eu, e eu engatei a 3ª sem me apavorar, pra vc ter uma idéia, hahahaha.

    acontece que é tudo muito negociável. vou ver como fica agora que aboli isso da minha vida. mas uma coisa eu te garanto, a palavra nao tá fazendo a mínima falta e eu to treinando melhor. nesse fds tenho campeonato e vamos ver como fica :)


    no mais, obrigada pelo comentário gigante, e por elogiar meus textos, você deve imaginar a alegria que dá né.

    e vamos postar aqui porque eu vim toda alegre que tinha coisa nova e não tinha ^^


    Beijos!

    ResponderExcluir