domingo, 2 de março de 2008

A materialização de um sonho

Freqüentemente olho para a minha vida e vejo vários momentos que foram fundamentais na trajetória (para o bem ou o mal, diga-se de passagem). Na maioria das vezes, não temos a dimensão do acontecimento na hora que ele acontece. Mas eu sinto que estou para viver um momento que estará para sempre na minha memória: o início da faculdade de jornalismo, na ECA.

São vários motivos para isso. Primeiro, e mais importante, é porque jornalismo é a minha paixão. Demorei para descobrir, só percebi, de fato, depois que comecei outra faculdade de comunicação. E quando já estava para terminar, já tinha decidido: estudaria jornalismo depois.

Dois anos depois de formado, aqui estou eu, começando outra universidade. Os meus três leitores sabem que não foram dois anos de descanso. Ao contrário, vivi o inferno do vestibular nos dois anos. E terminou da melhor maneira possível: estou na ECA, a mais famosa escola de comunicação do país.

A ECA é uma escola fascinante, e isso eu já percebi de outros carnavais. Fui visitar a escola para assistir à defesa do doutorado de uma das pessoas que mais gosto e me apaixonei, definitivamente, pela ECA. Aquele foi um momento fundamental, que me marcou e me deu muito mais força ainda para continuar os estudos e chegar ao sonho do jornalismo.

Ouvi milhares (exageraaaaado) de críticas ou comentários enfadonhos sobre a escolha da profissão. Muitos jornalistas frustrados lamentaram suas tristezas, dizendo que era uma triste escolha, que trabalha demais, que ganha pouco... Como se eu não soubesse de tudo isso.

A grande diferença que eu costumo dizer que existe é que eu escolhi o jornalismo não (apenas) para ser meu ganha-pão. Até porque eu já tinha outro e, por sinal, me daria muito mais dinheiro. Escolhi o jornalismo para fazer ser a minha diversão, minha profissão, completar a minha existência. Parece uma bobagem idealista, mas cada discurso contra parecia me confirmar isso. E olha que trabalhando no mundinho dos coxinhas (leia-se mundo corporativo) causou vários desses comentários engraçadinhos de administradores, economistas e até colegas de outras áreas.

Estou diante de um desses momentos que ficarão para sempre. Vão começar as aulas na ECA nesta segunda-feira. É um momento fundamental nessa caminhada de jornalismo, que já tem outros rumos surgindo. O ano começou excelente para mim nesse aspecto profissional, mesmo que isso não signifique ganhar dinheiro - aliás, até ao contrário. Mas a satisfação, ah, essa ninguém tira de mim.

A seguir, cenas do próximo capítulo.

2 comentários:

  1. Bom início de aulas à você.
    Fico feliz que esteja satisfeito!
    Jornalismo é uma carreira magnífica.
    Seu sonho virou realidade. Aproveite-o da melhor forma possível!

    ResponderExcluir
  2. Esse lance de trabalho de mais, grana de menos é o maior papo furado que existe. Me diga uma pessoa que tenha, nessa puta dessa vida, trabalhado de menos e ganhado de mais. Lógico que a gente só ganha muito se trabalha duro pra isso. E claro que o dinheiro não é o mais importante. O grande lance é que quando a gente faz o que realmente gosta, trabalhar nunca parece ser ruim ou demais. E o dinheiro vem como uma consequencia natural disso tudo.

    Parabéns Felipe, acho que você tá no caminho certo e vai ser muito muito feliz. E um foda-se bem grande pra quem só abre a boca pra cagar regra.

    ResponderExcluir