segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

O primeiro mês do ano

Janeiro é um mês interessante em alguns aspectos. Primeiro, porque começa com festa. E, entre os meus familiares e alguns amigos, essa festa se estende por muitos dias do mês. Especialmente no fim do mês, quando é um aniversário atrás do outro - e o meu é sempre o último, porque é no último dia do mês.

Outro aspecto positivo que eu sempre vi em janeiro é aquele clima de férias. Antes, porque era mês de férias escolares. Depois, porque o trabalho acaba empolgante em função de novos projetos ou, ao menos, de uma vã esperança que o ano será melhor.

Ah, não dá pra não citar a maravilha que o metrô se torna. Bom, exagerei, mas o inferno do dia-a-dia, com aquele bando de gente se apertando para entrar no danado do trem, melhora muito em janeiro. Muita gente gosta de tirar férias nessa época, ir para a praia e nos deixar trabalhar em paz todos os dias. Sem contar que a molecada está de férias da escola, dormindo até tarde. Ou seja: a vida podia ser bem melhor.

Infelizmente eu não aproveito da vantagem que vou contar agora. O rodízio fica parte do mês suspenso. O trânsito não tem trânsito. As ruas ficam muito melhores. Parece até que a cidade tem uma qualidade de vida muito boa, tal a tranquilidade que se observa. Ok, há sim trânsito, mas comparado a outros meses do ano, é muito melhor. O ano seria muito bom se os dozes meses fossem janeiro.

Bom, ao menos era o que eu achava. Esse ano experimentei o mês de janeiro com duas sensações muito distintas. Aliás, com dois momentos bem distintos. Começou com a preocupação com a Fuvest, que é logo no primeiro domingo do ano e segue por toda a semana. Passadas as provas, entrou o período de extrema tranquilidade: as férias.

O problema é que eu não escolhi tirar férias. Sou freelancer desde o fim do ano passado. E já aprendo logo no terceiro mês que freelancer corre um sério risco: passar algum tempo sem ter no que trabalhar. Levanta a mão aí quem passa por isso! (mão levantada)

Bom, em parte, tudo bem, porque como sou precavido, guardei dinheiro para que o mês de janeiro não fosse nebuloso. Consegui pagar todas as contas do mês (ou quase hehe). Descobri que aquela maldita frase, que sempre achei que fosse um absurdo de exagero, não é tão exagerada assim: "No Brasil, tudo só começa depois do carnaval".

Fato: janeiro não é um bom mês para freelancers. A falta de trabalho significa, na prática, falta de grana e queira de reservas, já escassas. O problema é que o mês começa a se aproximar do fim, as contas se aproximam de chegar, e o dinheiro teima em não aparecer.

Ainda bem que eu não tenho problemas de ansiedade. E nem do coração.

Um comentário:

  1. Nossa, em que estação vc viu o metrô com menos gente do que o habitual? A maravilha que o metrô se torna? Não to entendendo... peguei um hoje abarrotado de gente. Eca!

    Também não tenho problemas de ansiedade... ou tenho? Problemas no coração? meu cardiologista disse que ele tá ótimo então vamos acreditar né? (piada infame)

    A droga do weblogger tá um lixo, cada vez pior. Fiz um aqui. Agora vc vai ter que ensinar a usar!! =)

    Beijos!

    ResponderExcluir